Número de religiosos na Região diminui. Um dos mais importantes conventos de Angra, São Gonçalo,  tem apenas três irmãs.

No momento em que se vive a Semana do Consagrado, quase a terminar no dia 2 de fevereiro, no Dia em que a Igreja celebra também a apresentação do Senhor no Templo, o Portal da Diocese ouviu uma das religiosas presentes no arquipélago.

 

Ir. Nívea Gonçalves

A irmã, Ir. Nívea Gonçalves, é catequista da infância e Ministra extraordinária da comunhão na Paróquia da Sé.

É uma das três irmãs da congregação das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus.

Para além da vida da comunidade religiosa, de acordo com o carisma próprio da congregação, no convento de São Gonçalo, funciona um Jardim de Infância com cerca de 140 crianças.

Existe, também, no Convento a Igreja da São Gonçalo, cujo padre reitor é Duarte Rosa, e está aberta ao culto.

 

Portal da Diocese (PD)- Como é a vida de uma religiosa consagrada?

Irmã Nívea Gonçalves (Ir. NG)- É uma vida de oferta a Deus, imitando e seguindo Jesus Cristo. A consagração religiosa radica na consagração batismal e exprime-a mais plenamente através da vivência dos conselhos evangélicos de castidade, pobreza e obediência, vivendo exclusivamente para Deus ao serviço da Igreja.

 

PD- Que tipo de experiência espiritual se vive que determine essa opção?

 

Ir. NG- Para esta opção de seguir o chamamento de Cristo é necessária uma experiência espiritual de fé, vivência da Palavra de Deus e dos Sacramentos.

 

PD- Como é que uma consagrada serve a Igreja e por isso a comunidade?

 

Ir.NG- Uma consagrada serve a Igreja e a comunidade através do testemunho coerente de fidelidade aos seus compromissos e colaboração nas atividades apostólicas da Igreja.

 

PD- Que balanço faz da sua vida?

 

Ir. NG- Penso que o balanço é positivo, pois ao longo de toda a minha vida tenho procurado ser fiel à minha consagração, às atividades da minha Congregação que me são entregues e colaboração no apostolado da Igreja local onde estou inserida.

 

PD- Que tipo de atividades desenvolve?

 

Ir. NG- Depois da fase inicial de formação espiritual, apostólica e técnica tenho exercido a profissão de Educadora de Infância nos Jardins de Infância da Congregação das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus, a que pertenço, ou nas obras ao cuidado da mesma. Também tenho colaborado sempre na catequese paroquial, pastoral litúrgica, incluindo o serviço de ministro extraordinário da comunhão, na celebração da Eucaristia e a doentes ao domicílio.

 

PD- Quais as que a enriqueceram mais do ponto de vista espiritual e humano?

 

Ir. NG- Do ponto de vista espiritual, sem dúvida a catequese; do ponto de vista humano creio que foram as atividades nas obras sociais com crianças e famílias.

 

PD- Que desafios se colocam hoje aos que optam por uma vida consagrada?

 

Ir. NG- Os que optam por uma vida consagrada hoje são desafiados a um discernimento claro e profundo da sua vocação como consagrado, vivendo a sua realidade à qual é chamado a ser e a agir de uma forma especial, ou seja, a sua missão profética que tem o seu fundamento nos conselhos evangélicos: castidade, pobreza e obediência. A pessoa consagrada atesta que aquilo que é visto como impossível no mundo de hoje, torna-se com a graça do Senhor Jesus possível e verdadeiramente libertador. Sim, em Cristo é possível amar a Deus com todo o coração pondo-O acima de qualquer outro amor e amar assim com a liberdade de Deus todas as criaturas.

 

É preciso ser testemunhas autênticas no ser e no agir de fazer as coisas, “despertar o mundo que é possível viver neste mundo de forma diferente” (Papa Francisco). Sentir a alegria de ser chamado com um único objetivo de servir o povo de Deus em qualquer circunstância. Que cada um sinta a realidade e o desafio do seu chamamento como um caminho de vida. “Eu não sou anónimo ou sem sentido no mundo: há uma chamada, há uma voz que me chamou, uma voz que sigo” (Papa Bento XVI).

 

PD-  Se voltasse atrás tomaria o mesmo rumo?

 

Ir. NG- Sim! Em qualquer estado de vida ou em qualquer trabalho temos de contar com momentos bons e com algumas dificuldades, mas o importante é ultrapassá-las. Por isso sinto-me feliz pela minha opção.