D. João Lavrador pronunciou-se esta segunda feira sobre o ato eleitoral que decorreu no domingo no arquipélago

O bispo de Angra, interpelado pelo Sítio Igreja Açores sobre o quadro parlamentar que decorreu das eleições deste domingo nos Açores, que deu a vitória ao PS mas com maioria relativa, apela ao “espírito de verdadeiro diálogo” entre todas as forças politicas de forma a ultrapassar “os gravíssimos problemas que afetam a vida dos açorianos”.

“Há gravíssimos problemas que afetam a vida dos Açorianos, uns já vêm de longa data, agora dramaticamente aumentados pela pandemia, outros são decorrentes da vida social e económica sempre a exigir atenção e respostas adequadas” adianta D. João Lavrador.

“É nestas realidades concretas que todos os que compõem a Assembleia Legislativa em espírito de verdadeiro diálogo são chamados a responder”, sublinha o prelado que aproveita a ocasião para felicitar os novos eleitos.

O bispo de Angra lembra que um ato eleitoral “reveste-se sempre da maior importância” e elogia diminuição da abstenção.

“É justo apresentar uma palavra de reconhecimento a todos os cidadãos dos Açores que se empenharam no futuro da sua Autonomia. É de realçar o facto de a abstenção, embora ainda muito elevada, ter baixado significativamente” referiu D. João Lavrador  que convida os novos eleitos a encontrarem as melhores soluções para cuidarem da “fragilidade e das pessoas”.

“Juntando os esforços e colocando o bem comum e a dignidade de cada ser humano como prioridades absolutas, teremos capacidade para dar resposta aos inúmeros problemas que afligem o Povo Açoriano”, afirmou ainda.

“Estas eleições foram marcadas por uma variedade de propostas ideológicas e políticas vindas de uma assinalável quantidade de partidos” recorda o prelado diocesano, enfatizando que “este facto vai refletir-se na composição da Assembleia Regional que tendo uma pluralidade de propostas e projetos, deve colocar o bem comum como prioridade” procurando sair “ mais enriquecida e caminhar para uma melhor promoção da Comunidade Açoriana”.

“Felicito todos os que intervieram no debate eleitoral, a todos os candidatos e seus líderes dos diversos partidos e a todos os que foram eleitos para representarem o Povo Açoriano na Assembleia Regional”, disse ainda D. João Lavrador deixando “uma palavra de especial felicitação aos que mereceram a maioria dos votos do Povo Açoriano porque também terão a responsabilidade de governar nos próximos anos”.

O prelado que lembra a nova Enciclica do Papa Francisco, Todos Irmãos, para sublinhar que todos somos convidados a participar na edificação da comunidade humana para promover uma “sociedade da amizade”, condição para a qual é necessário desenvolver políticas “eficazes”.

Nas eleições legislativas regionais dos Açores, que decorreram no domingo, com 13 forças políticas candidatas aos 57 lugares da Assembleia Legislativa Regional, o PS venceu, mas perdeu a maioria absoluta que tinha no parlamento da região desde 2000.

Segundo os resultados das eleições legislativas regionais dos Açores de domingo, o PS elegeu 25 deputados, menos cinco do que há quatro anos, e o PSD, o segundo partido mais votado, conseguiu 21 mandatos, mais dois do que em 2016, seguindo-se o CDS-PP, que continua a ser o terceiro partido com maior representação no parlamento regional, mas perdeu um dos quatro mandatos conquistados há quatro anos.

O quarto partido mais votado foi o Chega, que pela primeira vez concorreu às legislativas regionais e elegeu dois deputados, o mesmo número de mandatos conseguidos pelo BE (mantendo o resultado de 2016).

O PPM duplicou a sua representação parlamentar e passa a ter dois deputados (um deles eleito em coligação com o CDS-PP), elegendo pela primeira vez um grupo parlamentar.

As eleições dos Açores de domingo marcam ainda a entrada pela primeira vez no parlamento regional da Iniciativa Liberal (1) e do PAN (1).

Por outro lado, o PCP deixa de estar representado na Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.