Nota pastoral antecipou visita pastoral da imagem peregrina de Nossa Senhora às dioceses. A imagem de Nossa Senhora estará nos Açores em março de 2016

Os bispos portugueses desafiaram hoje as dioceses do país a acolherem de forma “calorosa” e com “profundidade” de fé a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima em 2015-2016, no contexto da preparação do Centenário das Aparições.

No final de uma assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), em Fátima, os responsáveis católicos mostraram-se convictos de que “este acontecimento” poderá ajudar “a renascer” no meio das comunidades cristãs “a alegria do encontro com o Evangelho de Cristo e o entusiasmo de viver em Igreja”.

Destacaram ainda a iniciativa como uma oportunidade para Portugal ver a força de uma “Igreja em saída”, que quer ir “ao encontro” de todos, e de cada comunidade ou família retomar “a esperança” que por vezes parece “vacilar no meio dos dramas e incertezas do tempo presente”.

Os membros da CEP abordaram esta questão numa nota pastoral aprovada e divulgada aos jornalistas no final da assembleia plenária, acompanhada pela Agência ECCLESIA.

Nesse texto, os bispos sublinham que “a força da fé cristã e o modo como ela se vive” no país “não seriam os mesmos” sem a afirmação da “espiritualidade de Fátima”.

Ela é hoje “parte integrante” na “expressão da fé” das comunidades católicas, “em todos os recantos” de Portugal, das zonas rurais às urbanas, do mundo mais simples ao mais desenvolvido”.

Uma devoção celebrada tanto ao nível da “liturgia da Igreja, como na piedade popular nas peregrinações, festas, romarias e outras manifestações de devoção”, pode ler-se.

Para os prelados, a Mensagem de Fátima é “plenamente conforme ao Evangelho de Jesus Cristo” e contém em si todos os “elementos constitutivos do cristianismo”.

Daí que ela esteja “no coração da Igreja”, realça a CEP, recordando “as peregrinações dos Papas Paulo VI, João Paulo II e Bento XVI” à Cova da Iria, “bem como de inúmeros membros do episcopado, do clero e cristãos do mundo inteiro”.

Os membros do episcopado português esperam que a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima seja ocasião para as famílias viverem mais intensamente a eucaristia, os sacramentos, a oração, em particular do terço, e a prática da solidariedade.

Convidam de modo especial as crianças “a crescerem no amor a Jesus e a Nossa Senhora, seguindo o exemplo dos Três Pastorinhos, Lúcia, Jacinta e Francisco”.

A primeira Imagem da Virgem Peregrina de Fátima voltará aos Açores entre Março e Abril de 2016, para percorrer as nove ilhas do arquipélago.

A imagem entrará nos Açores no dia 6 de Março e sairá no final de Abril permanecendo excecionalmente quase dois meses, muito mais do que o tempo que permanecerá noutras dioceses.

“Nós vamos ter uma discriminação positiva nesta matéria e vamos trabalhar em estreita colaboração com o próprio Santuário, o seu reitor e a Comissão Nacional que está a tratar desta peregrinação por todas as dioceses do país”, disse ao Sítio Igreja Açores, o Porta Voz da Diocese, Cónego Hélder Fonseca Mendes.

A Diocese de Angra vai elaborar o programa interno desta visita, perspetivando-se uma estada da imagem peregrina em todas as 16 ouvidorias que compõem o arquipélago.

“O itinerário diocesano da imagem peregrina vai ser delineado e muito provavelmente será criada uma comissão diocesana que integrará o Movimento da Mensagem de Fátima para coordenar tudo no terreno” precisou, ainda.

CR/Ecclesia