Iniciativa do PS foi aprovada por unanimidade

A Assembleia Legislativa dos Açores aprovou esta tarde, por unanimidade, um voto de pesar pela morte do Pe Edmundo Pacheco, que faleceu no passado dia 15 de março, com 89 anos de idade.

A iniciativa foi do Grupo Parlamentar do PS e foi apresentada pela Deputada Catarina Furtado, natural da Ribeira Grande, o concelho de nascimento do sacerdote que foi lembrado como um “homem bom, culto, sensato e solidário, um verdadeiro humanista, que viveu a sua vida religiosa como viveu cada um dos seus dias: com dedicação inabalável e um exemplar sentido de entrega ao Outro”.

A deputada percorreu a vida do presbítero que serviu as duas paróquias da cidade- Matriz e Conceição (de onde era natural) e destacou a sua “intensa e longa intervenção cívica”, que abrangeu áreas como a educação, a comunicação social, a solidariedade social, o deporto e mesmo a política.

“O Padre Edmundo, como era conhecido, contribuiu, enquanto professor, para uma formação rica em valores estruturais de várias gerações de jovens ribeiragrandenses. A sua tranquilidade e sabedoria foram sempre transmitidas com alegria e sorrisos afáveis a todos quantos tiveram o privilégio de frequentar as suas aulas”, sublinhou a deputada, salientando até o “sportinguismo” do sacerdote que no final das missas não se coibia de informar “a hora a que o Sporting jogava ou o resultado obtido pela equipa que lhe enchia a alma desportiva”.

O voto de pesar lembrou também o teor das suas crónicas jornalísticas que assinava semanalmente na rádio e na imprensa escrita e, particularmente, as suas homílias que “eram, inevitavelmente, momentos de aprendizagem para os paroquianos, contextualizando as leituras e o evangelho de modo simples e claro”.