Pe. Filipe Diniz está a participar no I Congresso Diocesano da juventude açoriana que reúne cerca de duas centenas de jovens de seis ilhas do arquipélago

O Diretor Nacional do Secretariado da Pastoral Juvenil, Pe. Filipe Diniz, deslocou-se aos Açores para participar no I Congresso Diocesano da Juventude e, esta sexta feira pediu aos jovens de seis das nove ilha dos arquipélago para falarem mais de Jesus.

“Este tema não é assunto só para velhos” referiu o sacerdote que pediu aos jovens para falarem mais “da igreja e da vida de Jesus”, testemunhando o que significa o “Deus Amor”.

O I Congresso Diocesano da Juventude arrancou ontem à noite em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, com a participação de 200 jovens, naturais de seis das nove ilhas da diocese de Angra.

“Falamos com muita gente mas falamos pouco da igreja e de Jesus” disse o Pe. Filipe Diniz, lembrando que as novas tecnologias são uma ferramenta importante, que deve ser utilizada pela igreja, mas exige conhecimentos técnicos e, sobretudo “vontade para estar lá” e “partilhar”.

“É preciso professarmos a nossa fé, sem medo e nas redes sociais” até para mostrar “que somos mais” acrescentou o sacerdote, lembrando que ser igreja é ser família e por isso os jovens “deveriam dar o exemplo” referiu.

“Ser igreja é sermos família” destacou o sacerdote, porque a fé tem de ser “partilhada e vivida em comunidade e não individualmente”, referiu.

O Congresso Diocesano é promovido pelo Serviço da Pastoral Juvenil e prolonga-se até domingo, altura em que encerra com uma missa.

“Os jovens merecem, a igreja merece e a nossa diocese precisa” disse o Pe. Norberto Brum, sublinhado a necessidade de haver um maior compromisso entre os jovens e a igreja.

“Os jovens têm necessidade de se entregarem, de darem um contributo” seja em que espaço for, mas naturalmente com uma maior incidência na comunicação social, “de forma clara e acessível”, e  depois na familia.

“Este congresso não é uma meta mas sim um ponto de partida para uma maneira de ser e de estar diferentes na igreja açoriana” refere o Pe. Norberto Brum.

A ideia da elaboração de um guião de debate para a juventude saíu de D. João Lavrador porque a “igreja diocesana precisa de questionar os jovens de forma a que os jovens digam o que querem e o que precisam”, disse.

“Para nós é muito importante sabermos de que forma os podemos acolher porque eles têm uma linguagem muito especifica e nós temos de os ouvir e dar-lhes espaço” acrescentou o prelado.

D. João Lavrador presidiu à abertura dos trabalhos durante o dia de ontem e participou nos vários workshops desta sexta feira.

“Foi muito interessante de ver a forma livre e direta com que abordaram os seus problemas, as suas necessidades e sobretudo as alternativas que têm para poderem participar mais” referiu ainda.

“É na juventude que está o futuro da nossa igreja por isso temos de perceber o que eles necessitam e querem de nós para podermos acolhe-los e eles se sentirem integrados e participantes”, acrescentou.

Esta noite de sexta feira, os jovens participaram numa Vigília de oração pelo diácono Nuno Fidalgo que sábado será ordenado sacerdote. No sábado os trabalhos do congresso centram-se justamente na ordenação, que tem lugar na Povoação, às 11h00, e à noite prosseguem com um concerto oração com Claudine Pinheiro.

O Congresso da Juventude tem vários palcos e vários momentos distribuídos entre as ouvidorias de Ponta Delgada, Povoação e Vila Franca do campo.

Participam jovens de todas as ouvidorias de São Miguel e ainda das ilhas Terceira, Graciosa, Flores, Pico e Faial.