Junta regional e junta de núcleo unidas no mesmo sentimento de gratidão ao padre “escuteiro”, no dia em que se completa um mês do seu falecimento

A Junta Regional do Corpo Nacional de Escutas (CNE) e o Agrupamento 107 do CNE de São Miguel aprovaram dois votos de pesar pelo falecimento do Pe José Maria Almeida, assistente do movimento durante mais de 30 anos, que faleceu no passado dia 8 de junho, com 85 anos de idade, vítima de uma embolia cerebral.

A Junta Regional do CNE destaca “a afabilidade, a alegria contagiante o modelo de perseverança e espírito sacerdotal” do Pe José Maria, como era conhecido, “a quem muito respeitamos pelos sábios conselhos, permanente acolhimento e opiniões conciliantes que sempre testemunhou”

“Era, sem dúvida, um apaixonado e defensor acérrimo do Escutismo, designadamente do Escutismo Católico, o qual considerava uma verdadeira escola do Ser, do Saber-fazer e de Prática Espiritual e Cristã, do qual contava boas ações,  escuteiros e testemunhos da identidade do movimento, considerando-se um proclamador intransigente do método e dos valores, princípios e leis escutas”, refere ainda o texto do voto de pesar.

A morte do sacerdote é para a Junta regional do CNE “uma hora de profundo pesar” tendo-se perdido “um verdadeiro homem consagrado ao serviço de Deus e da Igreja, um afetuoso confidente e Apóstolo da Juventude e, igualmente, um verdadeiro e autêntico escuteiro, que marcou várias gerações e que ficará na memória de todos”.

Também a Junta de Núcleo de São Miguel aprovou um voto de pesar apresentado pelo Agrupamento 107 do CNE, do qual o Pe José Maria foi assistente entre 1959 e 2001, lembrando as “qualidades impares” do sacerdote, que foi seu assistente espiritual durante largos anos, como de resto o Sítio igreja Açores teve ocasião de sublinhar no dia do desaparecimento do Pe José Maria Almeida, “um Homem simples, reservado, dedicado à igreja e ao pensamento e reflexão”.

“De trato fácil, de palavra ponderada e ouvinte paciente, um apaixonado pela juventude e pelo movimento escutista, pelo que muitas vezes afirmava que era preciso nós dirigentes, transmitirmos hoje, mais do que nunca, os valores proclamados pelo escutismo”, destaca, ainda o voto.

O Pe José Maria Almeida faleceu há um mês no Hospital do Divino Espirito Santo.