Abertura de propostas realiza-se esta sexta feira de manhã.

A abertura de propostas para a construção da Igreja dos Flamengos, na ilha do Faial, destruída pelo Sismo de 1998, decorre esta sexta feira, dia 23 de maio, pelas 10h00 no passal paroquial, estando previsto para dia 29 o lançamento da primeira pedra.

 

O Conselho económico da paróquia dos Flamengos convidou diretamente quatro empresas de construção civil, com estaleiro a funcionar na ilha do Faial, para proceder às obras de construção daquela que será a primeira de quatro igrejas da Ouvidoria da Horta, que foram total ou parcialmente afetadas pelo Sismo de 1998 e que ainda aguardam a sua recuperação.

 

“Nos próximos dois anos a igreja dos flamengos é a única que vai avançar” disse ao Portal da Diocese o Ouvidor da ilha, Pe Marco Luciano, que lembra “não estão definidas as prioridades relativamente às outras igrejas”, pois “será necessário precisar bem os critérios que fixam as próximas prioridades”.

 

Para além de um espaço para realizar o culto “é preciso atender às necessidades para desenvolver uma pastoral efetiva e ativa e, por isso, é sempre necessário ponderar vários critérios”, sublinha o sacerdote que não subestima a importância da questão financeira, mas “todas estas questões serão devida e atempadamente definidas pelo Conselho Pastoral de Ilha”.

 

As quatro igrejas, integradas nas grandes reparações (ou seja construção de raíz de um edifício novo)- Flamengos, Pedro Miguel, Ribeirinha e Salão- que foram total ou parcialmente destruídas pelo sismo de 1998, que abalou as ilhas do grupo Central, especialmente Faial e Pico, vão finalmente ser reconstruídas, ao fim de 18 anos, graças à assinatura de um protocolo de cooperação com o Governo Regional.

 

As obras das quatro igrejas estão orçadas em 8,6 milhões de euros e serão feitas de forma faseada, de dois em dois anos. A Região compromete-se a pagar 75% do empréstimo bancário e as paróquias avançam, cada uma, com os restantes 25%, sendo que os juros do capital serão pagos na íntegra pelo Governo nos primeiros dois terços do tempo de duração do financiamento.

 

A Igreja dos Flamengos foi a primeira a avançar, tratando-se da construção de uma igreja de raíz, orçada em 1,4 milhões de euros.

 

“Para já não se registam dificuldades financeiras e estamos em condições de satisfazer a programação anual das obras nesta paróquia porque foram muitos anos a trabalhar para angariar fundos para avançar”, lembra o Ouvidor que elogia o trabalho dos vários agentes envolvidos que “nunca desistiram e até chegaram a pensar em avançar com um projeto alternativo que respondesse às necessidades mínimas para o funcionamento normal da paróquia”.

 

Por isso, conclui, ”agora está toda a gente muito entusiasmada”.