Francisco sublinha força regeneradora da fé

O Papa afirmou hoje no Vaticano que a fé na “ressurreição” é essencial para os cristãos, rejeitando confusões com doutrinas ligadas à “reincarnação”.

“Esta fé, que para os primeiros cristãos era segunda, pode ofuscar-se e tornar-se incerta, ao ponto de alguns confundirem ressurreição com reincarnação”, observou, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação do ângelus.

O Papa sublinhou que todo o Evangelho foi escrito “à luz desta fé: Jesus ressuscitou, venceu a morte”.

“Por causa desta vitória também nós ressuscitaremos”, acrescentou.

Francisco apresentou uma reflexão a partir da passagem do Evangelho que é proclamada este domingo nas igrejas de todo o mundo, relatando dois milagres de Jesus, uma cura e uma ressurreição.

“Aqui se vê o poder absoluto de Jesus sobre a morte física, que para Ele é como um sono do qual nos pode despertar”, explicou.

Este poder “sobre o mal e sobre a morte” está no centro da fé cristã, como “princípio de renovação e de esperança” que leva as pessoas a iniciar uma “vida nova”.

“A fé é uma força de vida, de plenitude para a nossa humanidade, e quem acredita em Cristo deve ser reconhecido por promover a vida em todas as situações, por fazer experimentar a todos, especialmente aos mais fracos, o amor de Deus que liberta e salva”, precisou Francisco.

No final do encontro de oração, o Papa saudou os participantes na marcha ‘Uma terra, uma família humana’, apelando à colaboração entre pessoas e associações das várias religiões “para a promoção de uma ecologia integral”, conceito presente na sua mais recente encíclica, ‘Laudato si’.

O primeiro Papa latino-americano da Igreja Católica saudou depois um grupo de bolivianos, presentes em Roma, dias antes da visita a este país (8 a 10 de julho).

“Na próxima semana estarei na vossa pátria. Que a nossa Mãe do Céu vos proteja”, disse.

CR/Ecclesia