As duas iniciativas- a 26 de novembro e a 7 de fevereiro- juntam académicos e especialistas nas áreas da Economia, do Ambiente, da História e da Teologia

O Serviço Diocesano da Pastoral da Cultura, em parceria com a Universidade dos Açores, promove dois “ECOntros: economia, ecologia e humanização”, uma iniciativa desenvolvida no âmbito da caminhada sinodal diocesana que, no momento presente, “procura escutar a voz da atualidade”, informa uma nota enviada ao Igreja Açores.

O primeiro evento, relacionado com a economia, consistirá numa aula aberta no Anfiteatro 7 da Universidade dos Açores, no dia 26 de novembro, entre as 16h00 e as 18h00 e será moderada pelo presidente da Faculdade de Economia e Gestão, Francisco Silva, e tem como  intervenientes Gualter Furtado, Presidente do Conselho Económico e Social da Região Autónoma dos Açores; Mário Fortuna, Presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Ponta Delgada; Zuraida Soares, ex-deputada do Bloco de Esquerda na Assembleia Legislativa dos Açores; Luís Toste, Gestor de Clientes do Novo Banco dos Açores e o Pe. Ricardo Tavares, Teólogo e diretor do Serviço Diocesano da Pastoral da Cultura.

Já o segundo evento, que se ocupará das várias dimensões que constituem uma “ecologia integral e integradora”, realiza-se no Centro Pastoral Pio XII, em Ponta Delgada, no dia de fevereiro do próximo ano, entre as 20h00 e as 22h00. Moderado pelo diretor diocesano da Pastoral da Cultura, contará com reflexões sobre o Diálogo Inter-religioso, por Avelino Meneses, Professor Catedrático na Universidade dos Açores e Secretário Regional da Educação e Cultura; a Ecologia Ambiental, por António Soares, Professor auxiliar na Universidade dos Açores; a Arte e a Cultura, por Leonor Sampaio da Silva, Professora auxiliar na Universidade dos Açores; a Espiritualidade, por Amélia Lopes, Professora de Português no Ensino Básico; e o Desporto, por Fernando Melo, Professor de Educação Física no Ensino Secundário.

“Os eventos debruçar-se-ão sobre a `casa´ comum a toda a humanidade. Para que haja uma harmoniosa convivência, é preciso `conhecer´ essa `casa´ (ecologia), para depois saber `geri-la´ (economia)” refere a organização ao adiantar que o primeiro `ECOntro´ visa as questões da “economia” e a sua missão de serviço à pessoa humana enquanto que o segundo se ocupa das problemáticas da ecologia integral, do ponto de vista espiritual, físico, social e ambiental.

“Pretende-se que, para além da abordagem a cada um dos temas, se faça uma avaliação da situação em que se encontra a Região Autónoma dos Açores, analisando algumas das suas fragilidades e propondo soluções possíveis”, sublinha ainda a nota da organização.