Ano letivo no Seminário de Angra arranca a 16 de setembro, com a chegada dos alunos

A cidade de Bragança recebeu, entre 2 e 4 de setembro, o encontro nacional dos formadores dos seminários diocesanos (ENFSD), que contou com cerca de 60 inscrições.

A iniciativa da Comissão Episcopal das Vocações e Ministérios teve como tema “novas culturas juvenis e desafios à modernidade”.

A primeira conferência foi apresentada pelo salesiano Jesús Rojano Martínez, que falou sobre “Cultura Juvenil e Vocação”; Fabrizia Raguso (UCP/Braga) abordou o tema “cultura juvenil e maturidade afetiva nos candidatos ao sacerdócio”.

O jesuíta Rui Nunes proferiu uma conferência sobre “a cultura digital nos jovens” e D. José Cordeiro, bispo de Bragança-Miranda, falou sobre ‘percursos para a maturidade na fé’, antes da reunião de grupos para partilha e conclusões.

O reitor do Seminário de Angra marcou presença neste encontro e, em declarações ao programa de rádio Igreja Açores lembra que se trata sempre de um momento “ de experiências partilhadas”, especialmente este ano por ter decorrido numa zona do interior, que tal como a diocese de Angra, é uma periferia.

“Nós, quando comparados com esta realidade mais periférica não estamos assim tão mal. Temos jovens e o facto deles fazerem a sua formação toda no mesmo espaço facilita o seu acompanhamento e o seu crescimento”, disse o Pe. Hélder Miranda Alexandre.

O ano letivo no Seminário Episcopal de Angra arranca no próximo dia 16 com a chegada dos alunos e as aulas começarão a 18 de setembro, já com novos seminaristas e com seis ordenações diaconais no horizonte.