Comité organizador diocesano sublinha “entusiasmo, alegria e sentido de compromisso” para a peregrinação da cruz e do ícone mariano pela diocese em 2022

A cruz e o ícone mariano da Jornada Mundial da Juventude(JMJ) Lisboa 2023 vai regressar aos Açores 12 anos depois de ter estado na diocese e a chegada está prevista para junho do próximo ano.

“Foi com enorme entusiasmo, alegria e sentido de compromisso que o Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil, recebeu a notícia de que a nossa Diocese receberia em Junho do próximo ano os Símbolos das Jornadas Mundiais da Juventude integrada na peregrinação daqueles símbolos a todas as Diocese de Portugal” adiantou ao Igreja Açores o responsável diocesano da juventude, padre Norberto Brum.

“Estávamos ansiosos por saber quando acolheríamos na nossa Diocese a Cruz e o ícone de Nossa Senhora, Símbolos da JMJ, uma vez que a primeira proposta de programação e peregrinação teve der ser suspensa em virtude da situação de Pandemia que se vive” esclarece.

Estes Símbolos voltam à diocese insular 12 anos depois da sua primeira peregrinação aos Açores, em Agosto de 2010, no contexto da Jornada Mundial da Juventude de 2011 em Madrid, tendo estado apenas na ilha de São Miguel, e por 2 dias.

“Nesta peregrinação dispomos de um mês, embora ainda não saibamos os dias certos quer da chegada quer da partida” adianta o padre Norberto Brum.

“Para já, não existe um programa específico e detalhado, uma vez que, dada a dispersão geográfica da nossa Diocese, temos, para tal, de estabelecer uma série de contatos e parcerias, recolher apoios logísticos, nomeadamente no que às deslocações inter-ilhas diz respeito”  adianta ainda o sacerdote.

A dimensão dos símbolos é um entrave a uma fácil mobilidade mas a vontade do comité local diocesano é que os símbolos “percorram todas as ilhas”.

“Se tal não vier a ser possível, queremos que esta Peregrinação aconteça no maior número possível de ilhas, mas o nosso desejo e objectivo, partilhado também pelo nosso Bispo, é que todas as Ilhas recebam os Símbolos da JMJ”.

Estão para já definidas duas grandes celebrações, para além daquelas que irão acontecer por onde os símbolos passarem. Em cada ilha caberá sobretudo ao seu Coordenador da Pastoral Juvenil, em sintonia com o respetivo Ouvidor e com a colaboração do clero da ilha, coordenar e acompanhar a respetiva peregrinação, envolvendo o máximo possível os jovens, grupos e movimentos juvenis.

“A Peregrinação dos Símbolos JMJ à nossa Diocese no mês de Junho do próximo ano irá exigir de todos um esforço redobrado no que à programação e celebração diz respeito uma vez que é o mês onde celebraremos as grandes festas dos Espírito Santo, Corpo de Deus e dos Santos Populares, nomeadamente São João e São Pedro. Teremos de ter em conta na programação e sobretudo na calendarização da Peregrinação às diferentes ilhas, as especificidades e grandeza destas festas em cada uma delas” adianta ainda o sacerdote responsável pela pastoral juvenil. As celebrações principais nas diferentes ilhas devem decorrer na Igreja JMJ que está já definida em cada ouvidoria.

“Estamos certos que a Peregrinação dos Símbolos das Jornadas Mundiais da Juventude à nossa Diocese não só será um momento alto na caminhada de preparação para a JMJ Lisboa 2023, como um momento de renovação e aprofundamento da Pastoral Juvenil no nossa Diocese” conclui o padre Norberto Brum.

A cruz e o ícone mariano chegarão à diocese provenientes do arquipélago vizinho da Madeira, em junho de 2022.