Vencedor do Prémio Pessoa 2014 vai participar no II Encontro Nacional de Leigos, este sábado, no Porto

Henrique Leitão, Prémio Pessoa 2014, vai participar no II Encontro Nacional de Leigos, sobre o tema “Recolocar o Homem no centro”, e considera que o grande “drama” da atualidade é dizer “o que é o ser humano”.

“O grande drama, a grande dificuldade, aquilo que ainda há hoje para fazer é deixar claro o que é ser humano, o que é viver humanamente”, disse o investigador em História das Ciências em declarações á Agência ECCLESIA.

“Recolocar o Homem no centro da sociedade, do pensamento e da vida” é o tema do II Encontro Nacional de Leigos, formulado de uma forma “muito importante e muito atual”, considera Henrique Leitão.

“Vou falar deste tema a partir do meu ponto de vista, do encontro entre as ciências e as humanidades, de uma pessoa que se dedica a estudar a evolução histórica da ciência e como a evolução histórica da ciência está imensamente ligada à colocação do humano no centro do problema”, refere.

O cientista considera que “o humano é questionável, problemático”, e traz consigo “reclamações, questões, tensões que são muito objetivas, reais”, a partir das quais se “estrutura o que é o ser humano”.

“O desejo de felicidade que temos, que é mais ao menos irreprimível, o desejo de alegria, de justiça, não são ilusões culturais, invenções ou ficções com que vivemos. São expressões de fatos humanos muitíssimo profundos que importa conhecer e perceber para onde apontam e o que é que temos de fazer com eles”, defende o Prémio Pessoa 2014

Henrique Leitão sustenta que pensar o humano implica uma “dimensão comunitária”, porque a fragmentação da vida “é terrível” e conduz à infelicidade, a uma “vida deficiente”, “isolada, sozinha, sem laços, sem nexos, sem compromissos”.

O II Encontro Nacional de Leigos vai decorrer no Centro de Congressos da Alfândega do Porto, este sábado, dia 24.