Comissão Episcopal do Laicado e Família sublinha papel na transmissão da fé

A Comissão Episcopal do Laicado e Família (CELF) associou-se à celebração do Dia dos Avós, que se celebra a 26 de julho, memória litúrgica de São Joaquim e de Santa Ana, elogiando a “reserva sapiencial” que eles representam.

“O Dia dos Avós tem como referência estes dois grandes crentes Joaquim e Ana, avós de Jesus. Eles inspiram os avós de hoje e levam-nos a agradecer-lhes o testemunho admirável de uma fé forte, consolidada numa vida de relação com Deus e alimentada pela prática fiel de uma vida cristã em comunidade”, refere a nota da CELF, presidida por D. Joaquim Mendes, bispo auxiliar de Lisboa.

A mensagem fala dos avós como “os ‘grandes catequistas’ das novas gerações e os baluartes das famílias e das comunidades cristãs”.

“Eles são uma ‘reserva sapiencial’ não só da própria família, mas da Igreja e da sociedade que a Sagrada Escritura nos exorta a valorizar”, pode ler-se.

“São testemunhas credíveis de fé cristã na família, na Igreja e na sociedade”, acrescenta a nota.

A CELF sublinha que os avós crentes transmitem às novas gerações “o sentido da fé e da vida, são portadores de uma sabedoria, e experiência que ensinam que uma vida sem valores, sem amor, sem fidelidade, sem doação não tem sentido”.

A mensagem realça a “maior disponibilidade para a oração”, dos avós, “com uma capacidade particular para compreender as situações difíceis e com um forte sentido de solidariedade”.

A CELF pede “o dom da alegria espiritual e a fortaleza” para os avós enfrentem as dificuldades próprias e, “porventura, a falta de amor, de atenção e de solicitude que merecem, que lhes são devidas” por parte da família, da Igreja e da sociedade.

“A eles a nossa gratidão, votos de um feliz dia e um grande abraço no Senhor”, conclui o texto.

(Com Ecclesia)