Iniciativa realiza-se na próxima terça feira, na vila baleeira

A comunidade paroquial das Capelas, na ilha de São Miguel, vai homenagear Monsenhor António da Luz na próxima terça feira, dia 1 de agosto, o sacerdote que foi docente do Seminário de Angra por mais tempo.

A iniciativa, que se insere nas festas de Nossa Senhora de Lurdes e que integrará também uma homenagem  às Irmãs Servas da Sagrada Família, congregação que serve esta comunidade há mais de 60 anos e que agora vai encerrar a casa, pretende distinguir “o serviço prestado”, quer pelas religiosas quer pelo sacerdote, a estas gentes.

O Monsenhor António da Luz completa no próximo mês de setembro 82 anos de idade e em dezembro 59 anos de sacerdócio.

A 27 de maio de 2015, numa entrevista ao Sítio Igreja Açores, o sacerdote recordou os 35 anos em que foi docente e afirmou que “os maiores perigos para a Igreja não vêm de fora, vêm de dentro”.

Sobre a Igreja Açoriana considerou que “é tempo de se fazer um Sínodo” diocesano que, além “de necessário é urgente”; que toda a Igreja precisa de uma “verdadeira conversão” para melhor “ser testemunha” e deixar “sinais num mundo cada vez mais secularizado”. Sinais que devem ser de “inclusão” e de “proximidade” sobretudo aos que sofrem, mas sem perder de vista “os ricos” que precisam “ser libertados da escravidão do dinheiro”.

“Se queremos ser fiéis ao Mestre temos de ser pobres e estar ao lado deles. Essa é a verdadeira Igreja de Jesus Cristo”, diz, lembrando que esta Igreja “não é de massas mas de pequenas comunidades vivas”. Estranhava, por outro lado, algum “conservadorismo” de um ou outro sacerdote mais novo bem como certo “vanguardismo” de alguns dos mais velhos. Por isso, pede orientações mais claras para que todos “possam caminhar lada a lado”.